URIEL - Dezembro 2017



URIEL - 10 de Dezembro de 2017
Mensagem de 10 de dezembro de 2017 (publicada em 14 de dezembro)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations


Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio




Eu sou Uriel,  Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão. Bem-amados do Um, antes que meu canto ressoe em vosso coração, coloquemo-nos juntos no silêncio eterno das profundezas da Verdade. Nesta reversão, nós nos acolhemos.

Silêncio…

Bem-amado do Um, venho hoje propor minha Presença em tua Presença, nas profundezas e no íntimo do que tu és, e trabalho em ti a fim de por fim às palavras e aos males, a fim de permitir-te reencontrar o que tu sempre foste além de toda forma, como além de toda palavra.  

Venho despertar em ti o verbo da Verdade, aquele que te faz passar do superficial ao profundo, da ilusão à Verdade, conduzindo-te, além da forma como além dos mundos, em tua morada de Eternidade, ali onde nenhuma palavra nem nenhuma expressão pode faltar no silêncio e na vacuidade.  

Venho amansar e facilitar a emergência neste mundo do que tu és além da forma, dando-te a provar a leveza da Verdade assim como a Alegria nova e inédita neste mundo.

Então em nossa Presença Una, neste espaço em que minhas palavras, além de seu sentido, têm uma única direção, aquela de tocar, além de toda palavra, o núcleo de tua eternidade, levando-te a depor as armas da luta e o escudo que obstrui a Verdade.  Esse escudo de teu mental, de tuas alegrias e de tuas dores neste mundo não podem rivalizar com a alegria da Liberdade.

Então eu te convido, neste instante, em cada tempo como em cada lugar, onde quer que tu estejas, ao coração da história como fora de toda história, a fim de te proclamar e de te declamar o inefável da Alegria e o inefável da Verdade que nenhuma verdade deste mundo saberia aproximar nem mesmo revelar.

Então, vim te propor e te acolher em verdade, além da forma como de toda forma, neste mundo como em todo mundo, e além mesmo dos mundos os mais etéreos. Então volte-se, ali onde não há nenhum momento e nenhuma distância mais eficaz do que o instante presente, onde se revela, no silêncio da tua pessoa e na vivificação da tua alma, a verdade do Espírito, aquele que tu és de maneira prévia à forma.

Vim convidar-te, agora que tudo o que devia ser cortado o foi, para cicatrizar tuas feridas e secar tuas lágrimas, substituindo-as pelas cicatrizes indeléveis do Fogo do Amor e pelas lágrimas de alegria por estares enfim reencontrado.

Vim convidar-te para cessar de alimentar o que é falso a fim de nunca mais provar a fome nem a sede, a fim de que nenhum de teus sentidos neste mundo possa alterar os novos sentidos, aqueles de tua eternidade.

Aí está teu coroamento, aí onde enfim tu podes dizer por ti mesmo, em teu íntimo : « Eu sou o Caminho, eu sou a Verdade e eu sou a Vida », levando-te a constatar e a realizar que além de tua pessoa não há nenhuma outra pessoa, que além de tua história há todas as histórias, que se resolvem sem história e sem medo no princípio último da Unidade e da Verdade, ali onde tudo não é senão um canto, ali onde tudo não é senão silêncio, ritmando a consciência livre de ver e de viver o que lhe parece bom, jamais esquecendo que tu és antes da forma.

Venho ressemear e aproximar o íntimo de teu coração, vindo adornar de minha Presença o retorno Daquele que doravante vem como um ladrão na noite, vindo deleitá-lo no Espírito de Verdade e na alegria indestrutível e incondicionada desta leveza e desta beleza.

Então, em qualquer lugar em que tu te tenhas, em qualquer tempo em que tu me escutes ou me leias, não esqueça de que além de tudo o que é aparência formal existe o invisível, que nestes tempos torna-se mais e mais visível, permitindo-te então extrair-te do pesadelo ou do mau sonho da ilusão deste mundo, levando-te a liberar-se de toda lei e de todo condicionamento desejado por este mundo ou por ti mesmo, pois aí onde tu és, em verdade, não há nada a querer, nada a desejar, não há mais nada a provar, porque neste íntimo de teu coração, não há senão a Evidência, não há senão o que é justo, ali onde nenhuma sombra pode ser detectada nem mesmo imaginada. 

O Arcanjo Miguel tendo transmitido sua tocha permite-me então iluminar a câmara íntima do silêncio, a câmara da tua eternidade, ali onde tu vives, independente da forma ou de qualquer experiência que seja, a felicidade do que jamais pode passar ou jamais pode morrer.  Então eu me dirijo a ti que renasce de seus dias e que renasce de suas noites, na luz da Verdade.

Não esqueça de que além do que tu escutas e além do que tu compreendes de minhas palavras e de meus silêncios, há sobretudo o fim de todas as palavras e o fim da Ilusão.  Lembre-se, tu não tens necessidade de nada mais, nem a conduzir, nem a portar, nem a eliminar, somente reconhecer-te na Verdade, ali onde nenhuma reivindicação do efêmero pode alterá-lo ou deslocá-lo, ali onde o Fogo Ígneo te consome no Amor inefável do Cristo, ali onde tu desposas e selas o juramento da Verdade reencontrada, ali onde nada pode ser escondido, ali onde nada pode ser tomado pois tudo aí é doação e tudo aí é Evidência e Transparência.

Então o Fogo Ígneo trabalha, vindo consumir o que não tem mais lugar de ser na Verdade que não sofre nenhuma ausência nem nenhuma mentira, ali onde só a Alegria e o Amor são tua tocha, ali onde a Alegria e o Amor não são travestidos por qualquer discurso que seja, ali onde as palavras não podem te alcançar, ali onde só o silêncio põe fim às palavras.

Deixe-te reverter com evidência e com graça, ali onde tu te vês verdadeiramente, além dos sentidos como além da visão, ali onde teus olhos se abrem, onde nenhuma palavra pode cantar neste mundo a beleza desta Verdade e onde só o Coro dos Anjos é testemunha, ali onde a melodia da Vida não pode se acomodar de nenhum entrave nem de nenhum domínio. Então chame-me pois eu te chamo. Então responda-me como eu te respondo, com a mesma proximidade e a mesma evidência, ali onde não há limite, ali onde todos os impossíveis tornam-se a permanência.

Escute e ouça o Fogo Ígneo que crepita cintilando em teus ouvidos, salpicando teu corpo de sua efusão de Amor.  Ali, imediatamente, sem esforço e sem querer, vive-se a reversão que te conduz de maneira inelutável ao retorno na Verdade, ao retorno na Evidência, ali onde nenhuma interrogação pode nascer e onde nenhum freio pode ser acionado. Junta-te à leveza anterior à toda densidade, junta-te à alegria do Amor que tu és, que não conhece nenhuma contenção e nenhum adorno.

Então venho alimentar esse fogo ardente consumindo-te de Amor, despertando-te de todo sonho como de todo desejo, pois no íntimo de teu coração, nesse Coração do coração, quando canta o Coro dos Anjos em teus ouvidos e quando o Fogo Ígneo te consome, dando-te a passar em verdade do efêmero ao Eterno, ali onde não há nem perda nem luto, ali onde tudo se resolve pela Graça e Inteligência de quem és...

No ritmo de minhas palavras, as palavras não podem mais encontrar domínio, a consciência contida nesse corpo não pode mais aderir ao sentido de ser esse corpo, ao sentido de ser esta vida, e te permite descobrir, além de todo conceito e de toda ideia, que tu não podes ser senão a Vida em sua inteireza, ali onde nenhuma distância pode existir e onde o tempo não apresenta mais ultraje nem resistência, pois todos os tempos e todos os espaços aí estão incluídos.

Então, na escuta e no entendimento do que tu és, por tua Presença e minha Presença unificadas, nós acolhemos os Anjos e seu Coro, vindo acompanhar o que do ponto de vista da pessoa tu nomeias Ressurreição e que, de nosso ponto de vista – aquele da Eternidade -, não é senão um reencontro, uma união de liberdade, uma união mística de todas as formas que tu percorreste e de todas as formas que percorrem o conjunto dos mundos, dos universos como dos multiversos, ali onde tudo é Um sem distinção e sem nenhuma dúvida.  Pois na Alegria, não pode existir a menor incerteza nem o menor futuro, pois assim, tu podes dizer que tudo está concluído a partir do instante em que o Espírito de Verdade torna-se tua verdade além de todo travestismo, de toda vestimenta e sobretudo de toda palavra, ali tu não tens nada a conceber, ali onde tu não tens nada a provar nem a demonstrar, ali onde a evidência da Alegria jamais pode desaparecer, pondo fim às sucessões de alegrias e dores deste mundo que conhece apenas o luto e a perda, de maneira irremediável, onde só a lembrança e a memória de um passado que não existe mais te dão a vincular-te e a acorrentar-te ao domínio deste mundo, ao domínio da Ilusão.

Hoje, nestes tempos, cabe apenas a ti nada mais conservar, nada mais crer possuir, pois tudo o que é efêmero e que tu possuis te possui em retorno e te aliena ainda mais.  Estes tempos estão concluídos pois tudo está concluído.  O tempo da Ressurreição, da tua promessa, doravante está ativo em ti, em cada um de ti com a mesma intensidade ; somente depende da velocidade, que não é função da tua quantidade e da tua qualidade de acolhimento da Verdade que tu não conheces.

Reencontrando a inocência da criança e tua espontaneidade, não há necessidade de outra muleta nestes tempos tão precisos que estão abertos a ti há alguns meses do teu tempo terrestre. Resta-te escutar e entender o que te dizem todas as formas em meio aos mundos livres, quer seja em meio aos povos da natureza de teu mundo como para toda Presença manifestando a Liberdade e a Alegria, ali onde não há mais esforço a fornecer, ali onde não há nada a preservar, ali onde nenhum temor não pode nem mesmo ser pensado.

Assim é a magnificência da Alegria, dando-te então a perpetuar a graça desse estado onde não há ação a empreender.  Deixando vir a ti a Vida, tu deixarás também vir a ti tua criança interior e tu poderás dizer assim, tu também : « Deixem vir a mim as crianças », sem distinção e sem preferência, com a mesma capacidade de acolhimento e de doação, sem reticência, da maneira a mais natural e a mais evidente.

Vim por minha Presença, cicatrizar o que o Arcanjo Miguel cortou em ti e, além de toda dor ou de todo luto, mesmo se tu não o compreendes, isso era necessário a fim de nunca mais ter de viver e enfrentar o luto do que quer que seja ou de quem quer que seja, porque tudo aí está e nada pode ser escondido.

Então a alegria dos reencontros se faz. Além mesmo do processo de dissolução da tua consciência efêmera e além mesmo da emergência da tua supraconsciência e de teu corpo de Eternidade, há, no íntimo de teu coração, a evidência do que está aí, e que espera apenas teu olhar e teu retorno em ti mesmo a fim de demonstrar a evidência do que tu és, além de todo pensamento, ali onde tudo está completo e ali onde tudo é perfeito.

Eu te convido então à perfeição, não da tua vida mas à perfeição da Vida, que não conhece nada da tua vida e que todavia é o que tu és, porque tudo está realizado e os tempos chegaram, e mesmo a ideia de contar ou descontar não pode aparecer em qualquer data ou em qualquer percepção que seja, ali onde tu está tranquilo, ali onde tu és verdadeiro.

Então venho iluminar esta última passagem a fim de que esta se realize na maior das doçuras e na maior das evidências. Prossegue todavia teu caminho neste mundo tal como a Vida o organiza, pois tu não és mais mestre de nada a não ser do que tu és, mas que não é uma mestria e sim um relaxamento, ali onde a questão da confiança não tem de se colocar, ali onde a questão do bem e do mal não pode ser vivida nem mesmo pensada.

Então eu te convido nestas numerosas moradas que são todas as moradas da Paz, as moradas da Eternidade, essa morada que não é uma casa nem um lugar fechado, mas que é simplesmente a certeza da Verdade que ultrapassa palavras e que não tem mais necessidade de nenhuma palavra nesse corpo como nos teus pensamentos.

Então continue, no caminho para o íntimo de teu coração, ali onde tu não tens mais necessidade de marcadores nem de certezas exteriores, ali onde não há mais distância, nem mesmo finalidade, pois tudo é percebido no mesmo lugar e em todo tempo.

Deixa-te transportar pelos transportes da Alegria e do silêncio, e da dança, ali onde tudo reside, ali onde tudo é possível, em toda liberdade, ali onde nenhuma lei pode substituir a lei do Amor, pois a lei do Amor, a lei do Um, é a única lei onde todas as outras tornam-se supérfluas e inúteis.  Então eu te convido hoje, tu que nada vivenciou nem nada percebeu, como tu que vibras desde pouco tempo ou desde tantos anos, a deixar terminar-se sozinho o que tu empreendeste há algum tempo ou mais longo tempo.

Continue a estar presente de maneira plena e inteira a este mundo se a presença da Luz não previu outra coisa para ti, e não esqueça de que o que tu vives não é nada mais do que a Vida que está reencontrada, pondo fim aos males, pondo fim à morte como a todo nascimento, ali onde as agonias do tempo não podem impor-se, ali onde nenhum espaço pode ser confinado, ali onde nenhuma dúvida pode subsistir.

Então o Caminho, a Verdade e a Vida cantam em teu coração o canto da Liberdade, como canta em teus ouvidos o júbilo dos Anjos da Fonte de Cristal desdobrada, ali onde tu não tens nada a possuir, ali onde tu não tens nada a preservar. 

Então, neste instante em que tu me escutas, deixa-te guiar ao Coração de teu Coração, pois nesse lugar que se desvela e se vive, não há nenhuma reticência nem nenhum obstáculo a essa Alegria que é a primeira manifestação anterior à tua forma que emerge da Fonte.

Deixe trabalhar os Ateliês da Criação, deixe trabalhar a cinzelagem da Luz que esculpe tua eternidade reencontrada. Aqui mesmo, na Ilusão onde tu despertas, aqui mesmo no falso da tua forma, tu encontras a Verdade, sem esforço, porque ela não é mais para buscar mas apenas a realizar.

Dando-te a ti mesmo, tu recebes o dom eterno do que tu sempre fostes.  Apesar das aparências e apesar dos males, apesar dos sonhos ilusórios deste mundo, sonho no sonho, que esse sonho no sonho seja o sonho espiritual de liberdade, que nesse sonho no sonho esteja simplesmente o cuidado de melhorar e bonificar o que quer que seja.

Lembre-se de que ali onde tu jamais nasceste, não há esforço a fornecer, há somente a leveza do dom, a leveza da Vida, ali onde todos os caminhos são o Caminho, ali onde todas as verdades só podem ser uma única Verdade, aquela que foi nomeada « Absoluto ».

Estou contigo pois sou tanto tu como tu mesmo. Não julgue na forma porque não há mais distância nem véus que poderiam enganar-te ou iludir-te ainda mais.

Vim também mostrar-te que ali onde tu és em verdade, nada mais há a ver do que a magnificência do Amor e da Alegria, ali onde nada pode estar sofrendo nem faltando, pois tudo é evidente, pois tudo é percebido além da percepção, porque vivido diretamente na consciência que encontrou sua fonte.

Assim, reencontrando teu céu neste mundo, este mundo só pode juntar-se ao seu céu.  Então não te deixes mais abusar por qualquer história, aparência ou palavra que seja, reinstala-te na Alegria, pois há aqui, neste íntimo de teu coração, uma tal densidade que não pode ter aí outra coisa do que a vivência da leveza, porque a densidade do Amor e da Alegria, sem mancha e sem sombra, é de uma tal presença e de tal evidência que não existe mais nenhum meio de lutar, de se opor ou de se restringir da Verdade, o que quer que tu penses, o que quer que tu digas, o que quer que tu queiras, porque tu sabes que neste lugar, neste íntimo, nesta profundeza, neste Coração do Coração, não há nenhum lugar para o que se passa, há todo o lugar para o que permanece para sempre e que permite todas as formas e todas as dimensões com o mesmo desembaraço, com a mesma facilidade, vindo colocar fim e permitir-te esquecer tudo o que foi da ordem do sonho em meio à Ilusão. 

Assim como tu o vives neste mundo, tudo aí é esforço, mesmo na leveza de teu coração, pois tudo aí é gasto e tudo aí é consumação, enquanto que a consumação do Amor nada pode consumir, porque, como ele disse : « Encontrando-te, tu jamais terá sede ». Assim é a Água da Vida, a Água do alto que vem fecundar, e bem mais do que semear, mas colocar a nu diretamente, sem gestação, a Verdade.

Então deixe o Fogo Ígneo transformar tuas Coroas em Coroas de Glória, deixe as tuas células desse corpo no qual tu estás, crepitar e cantar o canto da Liberdade também.

A Graça da Vida, em sua ação, vem te encher de graças a partir do instante em que  não te aténs mais a qualquer ilusão que seja, a partir do instante em que tu aceitas ver-te e ouvir-te além de todo tumulto deste mundo como de todo conceito deste mundo, ali onde tu estás só e todavia não experimentando nenhuma solidão, pois tudo aí está incluído e tudo aí está presente, ali onde o Impessoal toma todo o lugar e toda a facilidade, pois é o que tu és.  Em verdade eu te digo, em verdade tu o vives, sem esforço, somente abrindo e acolhendo sem restrição nem condição a verdade de tua eternidade, em teu coração onde não há nenhum lugar para o que vem da cabeça, pois hoje, pela graça da ascensão da Terra, teu coração juntou-se à tua cabeça a fim de que a cabeça não seja mais do que um executante do que teu coração te dita com evidência e facilidade, ali onde não há nem necessidade nem questionamentos, nem escolha a colocar, nem discussões possíveis.

Então o Fogo Ígneo, impulsionado por Metatron e amplificado por minha Presença, revela sua majestade que, eu te lembro, é Evidência, pois jamais essa palavra, entre as palavras que te restam, esteve tão próxima do que pode ser dito e ser vivido, mudando-te certamente os modos de funcionamento em meio a este mundo onde nada é obtido, onde nada é evidente, e onde o próprio dom é limitado pelas contingências deste mundo, pois tudo aí é predação, pois tudo aí é possessão, pois tudo aí é sedução, pois tudo aí apenas passa antes de falecer. Tu, não és nada disso. O que quer que tu nomeies « passado » em meio a este mundo, quaisquer que sejam teus conhecimentos deste mundo, não te são de nenhuma utilidade diante da evidência do que tu és, pois, nesse íntimo, não há nada a travestir porque tudo aí é aparente e nada pode ser escondido, exatamente ao oposto desse mundo onde teus pés ainda estão colocados.

Lembra-te de que não há nenhum ponto de comparação possível nem nenhum ponto de apoio neste mundo que te permita explicá-lo, que te permita dissertar, e que simplesmente te dê a colher o que tu és, essa Graça e essa Alegria.

Então o Fogo Ígneo progride, acendendo as Estrelas da cabeça, acendendo as Portas de teu corpo, desvelando-te o corpo de Eternidade que tu percebes e no qual tu começas a viver. O que quer que tu penses, o que quer que tu sintas ou não sintas, isso está aí.

Assim a última cura, aquela do apego à Ilusão, se vê consumida pelo Fogo Ígneo e também pelo Coro dos Anjos.

Veja e escute além destas palavras que saem neste instante, destas palavras que tu lês, a fim de por a nu, além de todo sentido, a essência que te conduz a ti mesmo.

Então teu coração, não aquele que palpita em teu peito, mas aquele de cristal, esse diamante perfeito, assume a alternância de teu coração de carne, ali onde não há necessidade de nenhuma contração, pois tudo aí é dom permanente, ali onde não há vai e vem porque tudo aí é duradouro, com a mesma intensidade e a mesma igualdade.

Deixa-te consumir, pois a consumação é Alegria, o que quer que te diga tua pessoa temendo o fogo, porque colocando fim à forma, esse fogo é bênção e não sofrimento, ele queima apenas as ilusões, ele queima apenas o que passa, ora tu não passarás nunca mais pois tu permanecerás na eternidade da Alegria. Em qualquer forma ou mundo que seja, tu te reencontras-te, não tens mais necessidade de história, nem de escrever nem de cumprir nenhum cenário no cenário do fim da Ilusão, tens somente de estar aí. E estar aí presente a ti mesmo, use um outro nome para tua pessoa, ela se chama humildade, que só pode ser cumprida na Infância e na espontaneidade, ali como eu te disse, nenhuma reticência é necessária, onde nenhum obstáculo pode opor-se ou contradizer essa verdade total e absoluta.

Então o Fogo Ígneo te batiza no Espírito da Verdade, então o Fogo Ígneo põe fim e porá fim a todo sentimento de perda, pois tirando-te da Ilusão, nada te é retirado e não te retiras de nada, te restitues a ti mesmo sem que nada falte. O que tu esperas para ser esta perfeição, desconhecida neste mundo, e que todavia se revela de maneira cada vez mais estrondosa e evidente ?  Certamente através das dissoluções das estruturas deste mundo, mas sobretudo, antes de qualquer coisa, pela emergência concreta da Luz, não mais somente nas partículas ou formas como os povos da natureza, mas em ti mesmo como em tudo o que tu olhas e vês além das aparências e mesmo além das condições deste mundo.

Permanece simplesmente aqui e agora. Então a clareza se faz nessa profundeza e nessa precisão, tudo é dado a ver, tudo é dado a ser assimilado e compreendido além de toda compreensão, de toda análise e de toda questão.

Então deixa-te consumir no júbilo do Amor redescoberto. Não freies nada a fim de que todo temor, toda hesitação e toda dúvida não possam mais nem mesmo ser somente evocadas e desapareçam definitivamente.

E lembra-te de que nesta consumação do Fogo Ígneo, tu realizas a união a mais perfeita e a mais sublime do que tu és com o que tu crês ser, sem esforço e sem nada pedir, pois isso te é devido e é  teu dom.

E ali, a Paz prévia à Alegria te preenche de seu silêncio, e ali o Fogo Ígneo torna-se carícia na Verdade do que tu és, deixando-te então te consumir com mais ardência e mais leveza, pois nesse fogo não há nada que parte em fumaça se não é a própria Ilusão, porque nesse Fogo Ígneo, há somente a beleza e a evidência, da Alegria, do Amor, da Luz e da Vida.

Então chame a mim desde este dia, desde o instante em que tu me escutes ou me leias. Eu não posso fazer o caminho, o que resta dele, em teu lugar, mas eu posso iluminar os contornos a fim de simplesmente reforçar o que tu poderias nomear a fé, antes que ela seja substituída pela Evidência que não tem necessidade de nenhuma fé, nem de nenhuma crença, nem de nenhuma esperança, a fim de que tu possas dizer também : « Pai, eu entrego meu Espírito em tuas mãos ».  Levando-te a compreender que o único Pai é a Fonte, não aquela ilustrada em teus céus no que foi nomeado Alcyone, mas em teu coração, porque tudo isso também está em teu coração, mas não podia alcançar a consciência da tua pessoa.

Eu te convido a me chamar, sem ritual nem dogma, na espontaneidade da Infância e na inocência a fim de observar e estar presente em tua última reversão.  O tempo chegou de sair da sepultura, pois este mundo não é nada mais – em suas aparências como em seus fundamentos – do que uma sepultura, pois tudo aí morre.  Certamente tudo aí renasce, mas perdendo a cada vez a memória da continuidade, da não-interrupção da Alegria e do Amor como em toda consciência, como em todo corpo e em toda dimensão.  Esse foi o Juramento e a Promessa que hoje tu podes realizar completamente, sem pré-requisito e com uma única condição, acolher sem restrição e sem nenhuma dúvida o que apenas pede para ser reconhecido e que só pede teu reconhecimento.

Então o Fogo do Amor pode consumir as ilusões e fazer reviver, na Verdade, a chama da Eternidade que tu és.  Em cada um de ti eu estou presente, em cada um de ti eu me tenho pronto para iluminar o que tu poderias chamar « caminho », mas que não é nada mais do que o caminho do Amor alojado em teu Coração do Coração.

Deixe-me reunir-te a fim de que tu também possas reunir-te, porque tu e eu somos Um, não enquanto ideia ou pensamento, mas enquanto Verdade vivida e aquiescida, porque nisso o Amor incondicionado é onipresente, pondo fim aos tormentos das condições do amor em teu mundo onde a perda é sempre o resultado em qualquer amor que seja. Eu te convido ao Amor onde nada pode ser perdido, eu te convido ao Amor que não conhece nenhuma condição ; o Fogo Ígneo que queima em ti é o testemunho.

Nesta consumação de Amor, tudo é perfeito a partir do instante em que tuas últimas reticências e resistências não possam mais operar diante dessa majestade e dessa beleza.  Depende de ti olhar e te posicionar no único lugar que seja verdadeiro e que doravante está presente para todos e cada um, irmãos e irmãs humanos da terra.  Mesmo se tu não vives nada e mesmo se tu o recusas, a Evidência se fará a partir do instante em que tu verás o sinal no céu e logo que Maria tê-lo-á chamado.

Mas não espere esse momento, ele já está aí para cada um de ti antes de que isso se torne, em um dado momento do fim destes tempos, a realidade coletiva a qual ninguém poderá subtrair-se, porque este último julgamento não é o fim do mundo, mas o fim de um mundo, o fim de uma experiência que trouxe apenas sofrimento e esperança.  Eu te proponho a Liberdade, aí onde está a Verdade.

É tempo agora de que minhas palavras se reduzam, que elas se espacem, e conduzam ao silêncio da consumação de teu coração efêmero, a fim de que cada uma das células desse corpo efêmero dissolva-se e deixe o lugar aos circuitos da Eternidade que são teus, em teu corpo de Eternidade.

Sou Uriel, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão, no Aqui e Agora de tua Presença realiza-se a alquimia do Fogo da Verdade, ali onde tu não tens nada a perder, ali onde tu não tens nada a pedir nem mesmo a esperar pois tudo está aí.

Sou Uriel, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão e eu te convido a estar presente em tua eternidade antes mesmo que a consumação coletiva deste mundo sobrevenha.  Eu sou a prova em ti de tua eternidade reencontrada, do que tu és além de todo travestismo.

Sou Uriel, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão, os quatro Cavaleiros trabalham doravante em concerto e tocam a mesma partitura, aquela da libertação.

Sou Uriel, eu sou tu e acolho tua Presença que para mim é bênção, e acolho tua Presença que é para mim a majestade da Alegria, e te digo : « Até sempre ». Desperta-te, o tempo dos tormentos e dos sofrimentos acabou enfim, nunca mais haverá fim a partir do instante em que tu és renascido. Eu te abençoo em tua eternidade, eu te abençoo em tua Presença como em tua Ausência.

Até sempre, na Eternidade reencontrada. Fique em silêncio comigo a fim de comungar.


… Silêncio…

Eu reverto agora no silêncio e na evidência de teu coração.

… Silêncio…


***


Tradução do Francês: Ligia Borges
https://lestransformations.wordpress.com/



PDF (Link para download) : URIEL - DEZEMBRO 2017


6 comentários:

  1. Tive que fazer uma viagem meio que repentina, de dois dias, e em função disso é que esta postagem foi postada com razoável atraso, para a qual também precisei fazer alguns improvisos. Bem, enquanto a tradutora foi pródiga em rapidez, a publicação não pode andar no mesmo ritmo (rs)... Contudo, eis-me de novo no meu posto, de volta ao lar, pois tal viagem terminou, e felizmente um pouco antes do previsto.

    ResponderExcluir
  2. "Então continue, no caminho para o íntimo de teu coração, ali onde tu não tens mais necessidade de marcadores nem de certezas exteriores, ali onde não há mais distância, nem mesmo finalidade, pois tudo é percebido no mesmo lugar e em todo tempo."

    ResponderExcluir
  3. "Então eu te convido hoje, tu que nada vivenciou nem nada percebeu, como tu que vibras desde pouco tempo ou desde tantos anos, a deixar terminar-se sozinho o que tu empreendeste há algum tempo ou mais longo tempo."

    ResponderExcluir
  4. "Então chame a mim desde este dia, desde o instante em que tu me escutes ou me leias. Eu não posso fazer o caminho, o que resta dele, em teu lugar, mas eu posso iluminar os contornos a fim de simplesmente reforçar o que tu poderias nomear a fé, antes que ela seja substituída pela Evidência que não tem necessidade de nenhuma fé, nem de nenhuma crença, nem de nenhuma esperança, a fim de que tu possas dizer também : « Pai, eu entrego meu Espírito em tuas mãos »."

    ResponderExcluir
  5. Então teu coração, não aquele que palpita em teu peito, mas aquele de cristal, esse diamante perfeito, assume a alternância de teu coração de carne, ali onde não há necessidade de nenhuma contração, pois tudo aí é dom permanente, ali onde não há vai e vem porque tudo aí é duradouro, com a mesma intensidade e a mesma igualdade.
    Grato Ligia
    Rendo graças


    Deixa-te consumir, pois a consumação é Alegria, o que quer que te diga tua pessoa temendo o fogo, porque colocando fim à forma, esse fogo é bênção e não sofrimento, ele queima apenas as ilusões, ele queima apenas o que passa, ora tu não passarás nunca mais pois tu permanecerás na eternidade da Alegria.

    ResponderExcluir
  6. É uma Mensagem 'Casamento'... Há um desfazer do usual, e vivenciar o 'Noivo, a União, a Eternidade'.

    "Venho despertar em ti o verbo da Verdade, aquele que te faz passar do superficial ao profundo, da ilusão à Verdade, conduzindo-te, além da forma como além" ...

    "Então o Fogo Ígneo trabalha, vindo consumir o que não tem mais lugar de ser na Verdade que não sofre nenhuma ausência nem nenhuma mentira, ali onde só a Alegria e o Amor são tua tocha"...

    "Estes tempos estão concluídos pois tudo está concluído. "

    "Então a Alegria dos reencontros se faz."

    "Deixa-te consumir, pois a consumação é Alegria, o que quer que te diga tua pessoa temendo o fogo, porque colocando fim à forma, esse fogo é bênção e não sofrimento, ele queima apenas as ilusões, ele queima apenas o que passa, ora tu não passarás nunca mais pois tu permanecerás na eternidade da Alegria.

    "Sou Uriel, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão, no Aqui e Agora de tua Presença realiza-se a alquimia do Fogo da Verdade, ali onde tu não tens nada a perder, ali onde tu não tens nada a pedir nem mesmo a esperar pois tudo está aí. "


    Bem, nada mais... Tudo pronto!

    ResponderExcluir